Aline Silva estreia com vitória, mas perde para russa e cai nas quartas dos Jogos Olímpicos Rio-2016


Aline Silva

Aline Silva perdeu para a russa Ekaterina Bukina e foi eliminada dos Jogos Olímpicos – Foto: Julian Finney/Getty Images

Aline Silva chegou ao Rio de Janeiro como a principal esperança de medalha para a luta olímpica do Brasil, mas infelizmente a “Guerreira da luta” teve que adiar o sonho da primeira conquista do wrestling do país. A brasileira começou bem sua trajetória nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro ao garantir vaga nas quartas de final do torneio com vitória sobre a japonesa Rio Watari, mas na luta seguinte a paulista foi derrotada para a russa Ekaterina Bukina nas quartas de final da categoria até 75kg feminina. Com o revés, restou a Aline torcer para que sua algoz avançasse à decisão para poder disputar a repescagem que vale o bronze, mas a atleta da Rússia caiu diante da cazaque Guzel Manyurova na semi e a brasileira deu adeus aos Jogos Olímpicos Rio-2016 sem medalha.

Aline Silva estreou na competição vencendo a japonesa Rio Watari pelas oitavas de final. No duelo seguinte, a brasileira teve pela frente a russa Ekaterina Bukina. Empurrada pela torcida a “Guerreira da luta” começou abrindo o placar ao levar a rival ao solo, mas a atleta da Rússia reagiu e conseguiu um golpe que lhe valeu quatro pontos nos segundos finais.

Em desvantagem, Aline Silva foi para cima e marcou mais um ponto e diminuiu a vantagem de Ekaterina Bukina no placar ao aplicar um take-down. A brasileira continuou pressionando, enquanto a russa tentava administrar a luta e e a arbitragem deu a punição de 30 segundos para Bukina, mas não foi o suficiente para Aline que foi derrotada por 4 a 3.

Lais Nunes é eliminada na estreia 

Além de Aline Silva, o Brasil foi representado por Lais Nunes, que não conseguiu superar a turca Haftize Sahin, sendo eliminada na fase qualificatória da categoria até 63kg do estilo livre feminino.A brasileira começou com tudo e conseguiu uma queda de quatro pontos sobre a rival Sahin Hafize, da Turquia. Ato contínuo, Lais posicionou a adversária na posição de encostamento. No entanto, apenas uma das escápulas foi encostada e mesmo com a brasileira em vantagem no solo, o árbitro decidiu interromper o combate e reiniciar em pé. Na sequência, Sahin conseguiu contra-atacar e conseguir o encostamento, golpe que encerra a luta imediatamente. Como a turca caiu na rodada seguinte, Lais não retornou para repescagem.

A Luta Olímpica brasileira encerrou a participação nos Jogos Olímpicos do Rio sem medalhas, a participação foi a participação recorde da delegação brasileira que teve cinco atletas (todos classificados em torneios qualificatórios), superando a campanha de 1988, que levou dois atletas.