Amanda Ribas é suspensa por dois anos pela USADA por doping


Amanda Ribas

Amanda Ribas cumprirá suspensão até junho de 2019 – Divulgação

Amanda Ribas vai ter que esperar mais um pouco para fazer sua estreia no UFC, já que a Agência Antidoping dos EUA (USADA, em inglês) anunciou na última quarta-feira (10) que a brasileira foi suspensa por dois anos por ter testado positivo no exame antidoping.

A mineira assinou com o UFC em maio do ano passado após se destacar no cenário nacional e iria estrear contra a compatriota Ju Thai no TUF 25 Finale, mas testou positivo para “ostarine”, em teste de urina feito fora de competição, no dia 7 de junho de 2017 e foi subtituída por Tecia Torres. A suspensão de Amanda Torres vai até junho de 2019.

De acordo com o comunicado oficial da USADA, a Ostarine, que também é conhecida como MK-2866 e Enobosarm, faz parte de uma lista de moduladores seletivos do receptor de androgênio, e é vendida ilegalmente nos Estados Unidos e no mundo como uma substância que melhora o desempenho. Ostarine não está disponível como medicamento de prescrição médica em qualquer país, e seu uso não autorizado pode causar sérios efeitos colaterais.

Amanda Ribas é considerada uma das grandes revelações no cenário nacional, onde foi campeã do Jungle Fight e também e foi campeã mundial de MMA amador em 2014 . Em quatro anos como profissional, a mineira de Varginha soma seis vitórias e apenas uma derrota em seu cartel. Em seu último combate, a atleta de 24 anos venceu a chilena Jennifer Araneda pelo evento Max Fight 18, que aconteceu em maio de 2016.