Anderson Silva vence Derek Brunson no UFC 208 e se emociona


Anderson Silva comemora

Anderson comemora a vitória sobre Derek Brunson no UFC 208 – Reprodução

Anderson Silva não vencia desde 2012, mas no último sábado (11) o ex-campeão peso-médio pôs fim no jejum ao superar Derek Brunson por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27) na co-luta principal do UFC 208, no Brooklyn, em Nova York (EUA).

Aos 41 anos, Anderson Silva teve pela frente um grande desafio, já que Derek Brunson é oito anos mais jovem do que o ex-campeão dos médios, mas o brasileiro procurou compensar a diferença demonstrando muita habilidade e experiência. O brasileiro parecia se divertir dentro do octógono.

O duelo começou bastante estudado e os dois atletas demoraram mais de um minuto para aplicarem o primeiro golpe, que veio com o americano, mas que passou no vazio. Anderson Silva buscava apenas o contragolpe, mas aos poucos foi arriscando e o combate ficou um pouco mais aberto, onde os dois chegaram a clinchar e a trocarem golpes duros, mas ambos conseguiram resistir e pouco arriscaram.

No segundo round, Anderson Silva passou a se soltar mais no duelo e provocou  Derek Brunson baixando a guarda. Mesmo sendo mais forte fisicamente, o americano não conseguiu impor seu ritmo de luta e teve suas tentativas de quedas frustradas. Mais confiante, o brasileiro passou a conectar alguns bons chutes e um certo momento esboçou uma ginga típica da capoeira e acertou a perna esquerda na cabeça do adversário, na sequência, que levou o público ao delírio antes do fim do round.

Sabendo que estava em desvantagem, Derek Brunson foi para cima no terceiro e último assalto e no single leg conseguiu a queda, mas Anderson Silva se levantou logo. O americano não desistiu e tentou novamente derrubar o brasileiro, que fez o sprawl e pegou o pescoço do adversário, ameaçando uma guilhotina, mas o duelo novamente ficou em pé. No alto, o ex-campeão conectou um chute na linha de cintura e Brunson respondeu com uma boa joelhada. O norte-americano tentou reverter a luta e quando round estava perto do fim tentou pressionar na grade, levou a luta para o chão e caiu por cima, mas não foi o suficiente para superar Anderson Silva.

Após ser declarada a vitória, Anderson Silva se emocionou muito abraçou os treinadores e se esforçou para falar ao ver o público de pé nas arquibancadas do Barclays Center.

“Primeiro de tudo, obrigado por virem aqui hoje. Muito obrigado ao UFC e aos meus amigos, minha família e meus filhos. Primeiro de tudo, Deus. Eu trabalhei muito durante muito tempo para lutar aqui. Coloco sempre meu coração. Às vezes tenho uma dor nas pernas, nas costas, às vezes procuro minha família e digo que vou treinar por três ou quatro meses, e agora quando venho para uma luta, venho para proporcionar isso a todos e dar o meu melhor. Desculpem, pois sei que estou muito velho para lutar, todo mundo aqui é mais novo, mais forte, mas eu fiz isso aqui com o meu coração. Quando eu venho aqui dentro do octógono, coloco toda a minha vida aqui dentro. Respeito todo mundo aqui, respeito os fãs e venho aqui para lutar feliz, pois amo o meu trabalho, amo o UFC, meus fãs no mundo e, por muito tempo sonhei em lutar em Nova York, eu nem acredito que isso aconteceu. Obrigado!”,disse.

Com a vitória, Anderson Silva quebrou o jejum de vitórias, já que não vencia desde 2012 quando superou Stephan Bonnar. O brasileiro até teve um triunfo contra Nick Diaz em 2015, mas como ambos foram flagrados no exame antidoping, a luta foi transformada em “No Contest” (sem resultado). Já Derek Brunson chegou a segunda derrota consecutiva, antes o americano havia perdido para Robert Whittaker.