Bruno Gazani e Anderson Buzika fazem revanche na co-luta principal do WGP 42


DCIM101GOPROGOPR1699.Neste domingo, dia 12 de novembro, em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, acontece mais uma edição do WGP Kickboxing, maior evento de trocação da América Latina. Em uma noite com disputa de cinturão encabeçando o card, outro confronto vem dando o que falar. O WGP 42 coloca frente a frente na co-luta mais importante da noite dois dos maiores atletas do país na divisão dos meio-médios (até 71,8kg) em uma revanche de tirar o fôlego. O anfitrião Anderson Buzika conta com a força da torcida para vingar a derrota para Bruno Gazani, ex-desafiante ao título da categoria e considerado um dos melhores atletas do WGP. O evento, que começa às 15h com transmissão ao vivo do Canal Combate e Bandsports a partir das 19h e Fox Sports a partir de 20h20, terá ainda outro anfitrião. Diego Gaúcho defende o cinturão dos super-médios (até 78,1kg) diante de Rodolfo Cavalo na luta principal da noite.

Aos 30 anos, Bruno Gazani é um rosto muito conhecido pelos fãs do WGP.  E ele carrega uma trajetória curiosa, já que não percorreu o caminho tradicional da maioria dos lutadores com o primeiro contato com as artes marciais ainda na infância ou na adolescência. Fã de Mike Tyson, o paulista de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, começou no muay thai apenas aos 20 anos de idade, mas não demorou muito para migrar para o kickboxing, e desde então soma 61 lutas, com 55 vitórias e apenas seis reveses. No WGP, ele construiu um vasto repertório também, com 12 vitórias e apenas duas derrotas.

Os dois reveses foram para o campeão da categoria Ravy Brunow, em duelos polêmicos e muito equilibrados. Para ter uma nova chance pelo título, Gazani tem pela frente Anderson Buzika em uma revanche muito aguardada e ele falou sobre a preparação para o duelo.

“Minha preparação está forte, um camp voltado para as dificuldades que enxergo no meu adversário, já lutei com ele uma vez e venci, mas foi há quatro anos. Ele evoluiu bastante e eu também evoluí. Sei que ele é um atleta explosivo, gosta de andar para frente, trocar porrada. Então vão ser os dois buscando a vitória a qualquer custo e quem tem a ganhar é o público”, afirma.

O duelo diante de Buzika tem outras peculiaridades. O adversário estará em casa, já que é natural de Bragança Paulista, e vai para seu segundo duelo na categoria dos meio-médios. Antes ele integrava a divisão dos super-leves (até 64,5kg). Para Gazani nem a torcida a favor nem a diferença de peso podem ser um fator diferencial para ele.

“Ele vir de uma categoria mais baixa não influencia nada, até porque ele pesa mais que eu. Não perco muito peso, mantenho quase o que bato para lutar e acho que isso não vai fazer diferença nenhuma. Quanto a lutar fora de casa estou acostumado com isso. Até gosto de lutar com a torcida contra, é uma motivação a mais ver a galera vaiando. Mas não estarei totalmente fora de casa, vai ter um pessoal de São Bernardo que vai estar torcendo por mim e tem bastante gente do interior de São Paulo que sempre me acompanha e vão estar presentes”, finalizou.

Irreverente, Buzika aposta no fator casa

Anderson Buzika é daqueles lutadores com estilo irreverente, adepto do ‘trash talk’ e muito explosivo dentro do ringue. Aos 27 anos, o paulista de Bragança está no esporte desde os 13 e sempre nutriu um sonho de ser um lutador profissional. Neste domingo, ele terá a chance de se apresentar dentro de casa, sob olhar dos amigos e familiares e se mostra confiante em vencer Bruno Gazani, um dos melhores atletas do cenário nacional.

“Na época em que enfrentei o Gazani no WGP era bastante inexperiente, era minha segunda luta profissional e ele já tinha quase 50 lutas. Mas foi muito bom para mim porque eu vi o quanto era bom com apenas duas lutas. Hoje sei que só dependo de mim para escrever uma nova história. E Bragança vai ser o meu campo de guerra, as minhas regras, meu jogo, minha luta. Espero ter minha melhor atuação do ano em casa contando com apoio dos meus familiares, alunos e o Brasil todo que curte meu estilo de luta”, confia.

No WGP, Buzika possui um retrospecto de seis vitórias e uma derrota, justamente para Gazani. Na carreira são 17 lutas disputadas e 15 vitórias. Se bater o rival, Buzika pode ter uma chance pelo cinturão do WGP diante de Ravy Brunow. Gostinho que ele chegou a sentir no ano passado, ao faturar o título interino dos super-leves (categoria abaixo), mas acabou ficando sem posto por não ter batido o peso no duelo diante de Guilherme Sanchos. A partir daí tomou a decisão de subir de categoria.

“Quando fui para os super-leves bati em todo mundo que figurava entre os tops da categoria. Agora chegou minha hora na divisão de cima. Meu objetivo é passar pelo Gazani e enfrentar o Ravy, que é um cara que tem um jogo explosivo e brigador. Para ganhar dele é preciso ter um gás muito bom para manter os cinco rounds no ritmo forte. Mas o resto do segredo para vencê-lo eu só conto quando chegar lá e lutar com ele”, finaliza.

O WGP 42 conta ainda com a disputa de cinturão dos super-médios (até 78,1kg) entre o anfitrião Diego Gaúcho e o desafiante Rodolfo Cavalo na luta principal da noite. Thiago Golden Boy e o chileno Victor Valenzuela fazem o outro combate internacional no card principal que conta com outros sete duelos.

Confira o card do WGP 42: Diego Gaúcho vs Rodolfo Cavalo

Main Card

WGP Super-Middleweight Title Bout

Peso Super-Médio (78,1 kg): Diego ‘Gaúcho’ (Inside) vs Rodolfo ‘Cavalo’ (Brazilian Alves)

Super Fight

Peso Meio-Médio (71,8 kg): Anderson ‘Buzika’ (Inside) vs Bruno Gazani (União ABC)

International Super Fight

Peso Super-Médio (78,1 kg): Thiago ‘Golden Boy’ Conceição (Thailand Top Team – BRA) vs Victor Valenzuela (Brutal Striker / WAKO Chile)

Super Fight

Peso Galo Feminino (52 kg): Pamela Mara (Inside) vs Ana Flávia Almeida (Company Top Fight)

International Super Fight

Peso Meio-Médios (71,8 kg): Robson ‘Minotinho’ (Coliseu – BRA) vs Diego Freiria (Pitbull Team – ARG)

Super Fight

Peso Galo Feminino (52 kg): Ma Nunes (Inside) vs Lailane Mota (Company Tiop Fight / The Rock Team / ABAMMRJ)

Peso Super-Médio (78,1 kg): Bruno Cassiano (Elite C.T.) vs Vinicius Dionizio (Marega Thai / Brazilian Thai)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Thiago Porto (Inside) vs Ramom Rozendo (Chacal Fight)

Peso Meio-Médios (71,8 kg): Antonio Luciano ‘Hunter’ (Team Hunter / FX ) vs Adriano de Oliveira (Coliseum Team)

Peso Leve (60 kg): Jean Matsumoto (Inside) vs Luan Santos (Chaya Combat / Brazilian Thai)

Undercard

Super Fight

Peso Meio-Médio (71,8 kg): Jefferson Araújo (Fênix Team) vs Andre Ricardo dos Santos (Inside / CT Impactus)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Oseias dos Reis (Inside Thales Almeida) vs Rodrigo Leiva (Serginho Team)

Peso Cruzador (85,1 kg): Hiago de Souza (Inside Saulo Scalize) vs Adriano Cesar dos Santos (Andre Gomes Team)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Rodrigo Pacheco (Inside) vs Jonas Carvalho (No Fear Fight Team)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Hiago ‘Baiano’ Sales (Inside Diego Ninja) vs Luis Fernando dos Santos (Team Nikolai)

Peso Meio-Médio (71,8 kg): Vinicius Henrique (Inside Regis Team) Gabriel Henrique (Hejena/Academia X Fight Gym)

Peso Super-Médio (78,1 kg): Jonas Júlio (Nova Geração) vs Hugo de Leon (Equipe Muay Luang)

Peso Leve (60 kg): Jose Santos (Rato Team) vs Diego de Paula (Guerreiros de Judá)

Peso Super-Pesado (+94,1 kg): Jean Kay (Inside) vs Zé Ernesto (Z.E.T. Team)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Julio Miguel (Full Combat) vs Felipe Lobo (Team Amatha)

Peso Super-Leve (64,5 kg): Eduardo Freire (Team Fúria) vs Ivan Albuquerque (Thai Unit)