Esquiva Falcão troca de técnico e treina nos Estados Unidos


esquiva

Esquiva Falcão enfrenta o americano Scott Sigmon no dia 30 de junho – Divulgação Top Rank

Esquiva Falcão se prepara para o próximo compromisso como boxeador profissional e para o duelo contra o americano Scott Sigmon no dia 30 de junho, em Dallas (EUA), o medalhista olímpico anunciou mudanças em sua equipe. Na última segunda-feira (15), o capixaba iniciou os treinamentos com o americano Robert García, técnico que atualmente tem dois campões mundiais em seu corner: Miguel García e Hernan Marquez.

O medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 era treinado pelo argentino Miguel Diaz, que foi substituído por Robert Garcia. Para a sequência de seus treinamentos Esquiva Falcão está de mudança para Oxnard, na Califórnia.  O capixaba falou sobre as alterações em sua equipe.

“É um novo desafio fazer parte da equipe do Robert Garcia, que treinou vários campeões mundiais. Agora terei outros caras treinando diariamente comigo, mais sparrings, atletas trocando experiências, auxiliando na preparação física e no convívio. Agradeço demais ao Miguel Diaz, que é um pai pra mim! Ele continuará no meu time, pois sempre aprendo com ele. Vamos juntos até o título mundial”, disse Esquiva, referindo-se ao argentino que o treinou até então.

Desde que se profissionalizou, Esquiva Falcão fez 17 lutas e venceu todas, sendo 12 por nocaute na categoria dos médios (até 72kg) . O brasileiro terá pela frente o americano Scott Sigmon, dono de um cartel de 29 vitórias (16 nocautes) e 11 derrotas. O medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 falou sobre seu adversário.

“Ele (Scott Sigmon) é bastante duro, resistente. Vai ser uma luta muito boa. É um teste para eu poder entender melhor meu desempenho em 10 rounds. O Robert Garcia tem uma equipe estruturada, que é mesclada por meninos novos e outros mais experientes, então, vou estar forte e pronto. Nessa luta serei mais técnico, com o propósito de colocar a mão forte para nocautear. Quero mostrar que o boxe do Brasil continua em alta”, disse.