Herbert Burns encara russo invicto no One Championship: “Será uma guerra!”


Herbert Burns

Herbert Burns enfrenta Movlid Khaibulaev no dia 10 de fevereiro – Divulgação

Após um ano sem pisar no cage, Herbert Burns já sabe quando lutará novamente. O One Championship, maior evento de MMA da Ásia, marcou o próximo duelo do faixa-preta para o dia 10 de fevereiro em Kuala Lumpur, na Malásia. Herbert terá pelo frente o russo Movlid Khaibulaev que, assim como o brasileiro, está invicto no MMA. The Blaze sabe que não terá moleza e espera uma guerra contra o russo.

“O Movlid Khaibulaev é um cara completo, ele fez a maior parte da sua carreira no circuito russo, encarou vários adversários europeus. Como eu disse, é um lutador completo, tem a trocação boa, um wrestling bem ofensivo, finalizou na sua última luta, então também está trabalhando a parte de chão… Nunca tive moleza no One e não esperava nada diferente. Ele vem para mostrar serviço, mas terá pela frente um cara já consolidado no evento. Então, será um guerra! Treinei muito, estou sempre evoluindo, e vou sair vencedor desta luta”, disse o casca-grossa.

No período que passou sem lutar, Herbert aproveitou para aperfeiçoar o seu jogo. Depois de uma temporada na Tailândia, berço do Muay Thai, o campeão Mundial de Jiu-Jitsu sem quimono treinou em Miami com seu irmão Gilbert Durinho, o treinador da Blackzillians Henri Hooft, e deu continuidade em Niterói, sua terra natal.

“Estou sempre treinando, sou um cara ativo. Faço dos meus treinos um estilo de vida. Depois dos intercâmbios que eu fiz no ano passado, voltei para Niterói e continuei treinando. E, nesse período, além do treino, tive tempo para ficar com a minha filha. Fiquei muito tempo na Ásia e estava com saudade dela. Então, foi muito positivo esse tempo que fiquei treinando no Brasil para essa luta”, contou Burns.

Treinando a parte de trocação com Emerson Falcão (treinador de Muay Thai de José Aldo) e tendo como parceiro de treinos o atleta do UFC Thales Leites, Herbert contou que fez bastante sparring para não perder o ritmo de luta.
“Treino não faltou (risos). Fizemos muito específico e muito sparring, porque estou bastante tempo sem lutar. Foquei bastante em fazer sparring para ganhar ritmo. O treinamento foi muito proveitoso e eu não vejo a hora de chegar lá e entrar no cage para colocar tudo em pratica”.

Dois seis combates que fez na carreira, Herbert venceu quatro por finalização. Apesar da evolução na luta em pé, Herbert quer usar o Jiu-Jitsu para sair com a vitória e anotar a primeira derrota da carreira do russo.

“O Jiu-Jitsu é meu carro chefe. Sempre que tiver oportunidade eu vou derrubar e usar o meu Jiu-Jitsu. E é o que tenho conseguido fazer ao longo da minha carreira no MMA. Tenho a maioria das minhas vitórias por finalização. Então, quando eu tiver oportunidade, vou tentar levar para o chão. Mas sem me expor. Melhorei muito na trocação, estou me sentindo confiante para trocar com qualquer um em pé, mas o Jiu-Jitsu é a minha principal arma. Tenho certeza que no chão eu terei ampla vantagem mas, no MMA, o mais inteligente ganha e não o mais valente”, encerrou.