Investigado por corrupção no boxe, Ching-Kuo Wu renuncia ao cargo de presidente da AIBA


Ex presidente AIBA

Nas investigações, uma das suspeitas é de que Ching-Kuo Wu tenha desaparecido com valores equivalentes a R$ 42 milhões – Foto: AFP

Após 11 anos na presidência da Associação Internacional de Boxe (AIBA), Ching-Kuo Wu anunciou a renúncia na última segunda-feira (20). O tailandês é investigado por corrupção e , segundo ele, tomou a atitude para que “possam ser resolvidos os problemas de dentro da AIBA”.

“Tomei esta decisão para o esporte que eu amo e dedicou minha vida. Continuo empenhado em garantir uma entrega harmoniosa para a nova liderança. Agradeço o tempo em que fui autorizado a servir ao nosso esporte, à AIBA e à comunidade de boxe”, declarou o dirigente.

Membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), Ching-Kuo Wu é suspeito de desviar R$ 42 milhões.Com a decisão do tailandês, a presidência da AIBA passa a ser comandada de forma interina pelo italiano Franco Falcinelli, que vai exercer todos os poderes do presidente em conformidade com os estatutos.

“Gostaria de agradecer Ching-Kuo Wu por sua contribuição ao esporte do boxe e à AIBA ao longo de muitos anos e desejamos-lhe o melhor. Nosso foco está agora no futuro e nos concentraremos em nossa missão principal de promover e desenvolver o nosso esporte em colaboração com as 202 federações nacionais, disse Falcinelli.

A AIBA convocará um congresso extraordinário com todas as suas federações nacionais no dia 27 de janeiro de 2018 em Dubai, para promover mudanças em sua diretoria.