Seleção brasileira masculina de judô conquista duas pratas e dois bronzes no Aberto Europeu de Oberwart


Marcelo Contini prata

Felipe Kitadai e Marcelo Contini terminaram na segunda colocação, Eric Takabatake e Charles Chibana em terceiro – Foto: Reprodução / Facebook EJU

O judô masculino brasileiro subiu ao pódio quatro vezes no Aberto Europeu de Oberwart, na Áustria. No último sábado (13) Felipe Kitadai (60kg) e Marcelo Contini (73kg) conquistaram a prata, as medalhas de bronze vieram com Eric Takabatake (60kg) e Charles Chibana (66kg).

“Fiz uma competição boa, cresci a cada luta. Na final, não consegui encaixar meu judô pois não achava a melhor posição. Mas com certeza vou para Dusseldorf muito confiante e animado. Estou me sentindo muito bem”, disse Marcelo Contini, lembrando da competição na Alemanha já no próximo final de semana.

Os primeiros a entrarem nos tatames montados no Sporthalle Oberwart para as disputas por medalhas foram os ligeiros Eric Takabatake que lutava pelo bronze e Felipe Kitadai que disputaria a decisão da categoria contra o ídolo do judô austríaco, Ludwig Paischer. Num confronto equilibrado, sem pontuação para nenhum dos dois lados, o brasileiro acabou sofrendo três punições contra apenas uma de Paischer e ficou com a prata. Para chegar à final, Kitadai passou por Daniel Bem David, de Israel, com dois yukos; por Eisa Majrashi, da Arábia Saudita, por ippon; por Nuno Carvalho, de Portugal, com um waza-ari e um yuko; e, finalmente, por Davud Mammadsoy, do Azerbaijão, na semifinal.

E não era mesmo o dia de Mammadsoy contra os brasileiros. Na disputa do bronze, Eric Takabatake enfrentou o atleta do Azerbaijão e venceu por um yuko, garantindo um lugar no pódio. Para chegar à decisão pelo terceiro lugar, Eric venceu Sayan Khertek (RUS) por yuko na estreia e depois passou por Alon Rahima (ISR) por ippon. Nas quartas-de-final, acabou derrotado na diferença de punições (3 a 2) para Vugar Shirinli (AZE) e foi para a repescagem contra Argen Bakytbek Uulu, onde conseguiu um yuko e se garantiu na busca pelo pódio.

“Eu não gostei da minha competição porque acredito que poderia ter lutado melhor. Mas é sempre muito importante chegar ao pódio. Espero conquistar mais uma medalha na Alemanha”, disse Takabatake.

Assim como no ligeiro, no meio médio os dois brasileiros em ação na Áustria estiveram no bloco final. Marcelo Contini (73kg) enfrentou Didar Khamza do Azerbaijão na decisão. Depois de tentar uma entrada, acabou sofrendo o contragolpe que rendeu um yuko para Khamza e o título da competição. Para chegar à prata, antes Contini havia vencido o portorriqueno Adrian Gandia na diferença de punições (2 a 0), o grego Georgios Azoidis, o gambiano Faye Njie e o azeri Fagan Guluzada, todos por ippon.

O adversário de Contini na decisão foi justamente o algoz de Alex Pombo (73kg) na semifinal. Antes da derrota para Khamza (AZE), Pombo havia vencido todas as suas lutas – contra o argentino Alejandro Clara, o sérvio Milan Nikolic e o esloveno Martin Hojak – por ippon. Na disputa do bronze, ele enfrentou o russo Uali Kurzhev. Depois de estar perdendo por um yuko, Pombo buscou a pontuação mas, por ter sido punido duas vezes a mais que Kurzhev terminou na quinta colocação.

Por fim, Charles Chibana (66kg) precisou de quatro lutas para chegar à disputa por medalha. E as três vitórias – contra Tobias Weixelbaumer (AUT),  Ilyas Izmagilov (KAZ) e Laszlo Szoke (ROU) – vieram por ippon. Na semifinal, começou muito bem a luta contra o egípcio Mohamed Abdelmawgoud com um yuko e um waza-ari mas acabou sofrendo o ippon. Na disputa do bronze contra o sérvio Marko Vukicevic, se impôs ao conseguir um waza-ari e controlou a luta até o fim.

O Brasil entra em ação no próximo domingo (14) com Leandro Guilheiro (81kg), Tiago Camilo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Rafael Silva (+100kg) combatem em Oberwart.