Thomas Almeida vibra com luta principal do UFC e promete corresponder confiança


281501_597439_thomas14

Thomas Almeida encara Cody Garbrandt dia 29 de maio, em Las Vegas – Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto

Nem nos melhores sonhos de menino, o lutador Thomas Almeida imaginava, aos 24 anos, encabeçar um card principal do UFC em Las Vegas. O atleta está a pouco menos de um mês de fazer seu primeiro main-event do Ultimate em um ano e meio de organização. Com uma sequência de quatro vitórias na franquia, quatro bônus conquistados por suas atuações e um cartel invicto de impressionar qualquer um, o brasileiro chega com moral para encarar o norte-americano Cody Garbrandt na luta que lidera o card do UFC Fight Night 88, dia 29 de maio, nos Estados Unidos. Ciente da responsabilidade de ser apontado como a grande esperança brasileira na organização, o peso galo (até 61,6kg) mantém os pés no chão e revela que o duelo com o invicto Garbrandt está sendo muito bem visto por ele e seu estafe.

Há pouco menos de dois anos, Thomas Almeida era apenas um jovem lutador invicto que dava o que falar no cenário nacional. De lá para cá, a carreira e vida do paulistano mudaram drasticamente. Após ser campeão do Legacy FC, Thomas ganhou uma chance, no final de 2014, de estrear no Ultimate diante do norte-americano Tim Gorman, e saiu vencedor na decisão unânime. Cheio de expectativa em torno de si, o brasileiro não decepcionou nos duelos seguintes, fazendo com que o clamor em cima do seu nome fosse aumentando cada vez mais com vitórias acachapantes sobre Yves Jabouin, Brad Pickett e Anthony Birchak. O reconhecimento pelas atuações vem no próximo dia 29 de maio, quando faz sua primeira luta principal na organização.

“Estou muito feliz pelo reconhecimento do UFC e por me dar essa oportunidade, é um sonho de criança encabeçar um card do Ultimate. Acredito que fazer um main event é um grande voto de confiança da parte deles e nem penso em decepcioná-los. Tenho certeza também que vencendo esse desafio eu dou um passo enorme em busca do meu sonho que é conquistar o cinturão”, afirma o lutador, que ocupa a sétima posição no ranking do galos.

A sólida carreira de 21 vitórias em 21 lutas disputadas, com apenas uma delas indo para a decisão dos juízes, será colocada à prova no próximo desafio de Thomas. Isso porque ele encara um adversário também invicto e com um estilo muito semelhante ao seu. Apontando com uma das maiores promessas norte-americanas na divisão dos galos, o striker Cody Garbrandt sustenta uma invencibilidade menor que a do brasileiro – foram oito vitórias em oito lutas. Mas Thominhas sabe do perigo que o lutador deve lhe oferecer e não esconde a satisfação com o casamento do combate.

“Meu adversário é bem duro, é um striker também e já fez muitas lutas de boxe antes do MMA. Sei das suas qualidades. Uma luta principal entre invictos oriundos da trocação acredito que é o que o público quer ver. Será uma verdadeira guerra e com certeza foi uma luta super bem casada. Ele vem da trocação, mas é um cara completo, tem um ótimo wrestling e se movimenta muito bem no chão. Vai ser uma luta onde não poderei cometer erros e vou entrar para nocautear ou finalizar. O segredo é entrar atento, pilhado desde o começo, sem dar chance para ele”, projeta.

Ex-campeão na co-luta principal vira motivação a mais

O card do UFC Fight Night 88 tem, além de Thomas e Garbrandt, um retorno muito aguardado. O ex-campeão dos galos, Renan Barão, volta após os duelos pelo título da divisão diante de TJ Dillashaw e sobe de categoria para encarar o experiente Jeremy Stephens, na co-luta principal da noite. A presença de Barão é festejada por Thominhas, que enxerga a situação como mais um fator motivacional para seu duelo.

“Sou muito fã do Barão e da história que ele tem no UFC, são poucos que se mantiveram tanto tempo invicto na organização, e é uma honra lutar no mesmo card que ele. Estou muito feliz em ver como o UFC está apostando em mim me colocando para lutar na frente de lendas como o Barão. Estou treinando muito para não desapontar eles e muito menos todos que torcem por mim”, encerra.