UFC demite quatro brasileiros e a lenda japonesa Takanori Gomi


ufc_logoA barca mais uma vez passou no UFC e com ela levou cinco lutadores, entre eles quatro brasileiros. Adriano Martins, Hacran Dias, Henrique Frankenstein, Carlos Boi e o ex-campeão do Pride, o japonês Takanori Gomi não fazem mais parte do elenco do Ultimate.

Dos brasileiros demitidos, o único que não chegou sequer a lutar foi Carlos Boi. O peso-pesado estava escalado estrear na organização contra Christian Colombo em São Paulo,  mas acabou sendo flagrado em um exame antidoping em setembro e foi retirado do card.

Adriano Martins vinha de duas derrotas consecutivas onde foi superado por Léo Santos e Kajan Johnson. No UFC, o manauara fez sete lutas com quatro vitórias e três derrotas. Aos 34 anos, o lutador soma em seu cartel 28 triunfos e nove reveses na carreira.

Hacran Dias vinha de três derrotas consecutivas onde foi superado por Cub Swanson, André Fili e Jared Gordon. No UFC, o atleta da Nova União fez oito lutas com três vitórias e cinco derrotas. Aos 33 anos, o carioca soma 23 triunfos, seis reveses e um empate em seu cartel.

Henrique Frankenstein chegou invicto no UFC e começou bem na organização onde venceu Jonathan Wilson e Joachim Christensen, mas o pernambucano não conseguiu repetir a boa atuação e conheceu sua primeira derrota na carreira para Paul Craig. Em seguida, Frankenstein foi superado por Jordan Johnson, Ion Cutelaba e Gokhan Saki. Aos 28 anos, o brasileiro soma 12 triunfos e quatro reveses em seu cartel.

Outro integrante da barca foi Takanori Gomi que vinha de cinco derrotas consecutivas. Após uma fase gloriosa no Pride , entre 2004 e 2007, quando chegou a ser apontado como o melhor peso-leve do mundo, o japonês transferiu-se para o UFC em 2010, mas não conseguiu repetir as boas atuações e nas 13 lutas que fez no Ultimate perdeu nove e venceu apenas quatro. Aos 39 anos, Gomi tem em seu cartel 50 lutas, com 35 triunfos, 14 reveses e uma luta sem resultado.